terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Feliz Natal a todas as Espécies!!!



Observe o presépio: tem vaca, cabrito, cordeirinho – todos observando o Menino Jesus. Os Evangelhos dizem até que com seu hálito, os animais ajudaram a aquecer o recém-nascido.

Agora pense na maneira como os Reis Magos celebraram a chegada do Deus Menino. Seus presentes foram ouro, incenso e mirra. Em nenhum momento, os magos, José ou Maria sugeriram assar um peru ou um pernil para comemorar…

O Natal é o momento em que no mundo inteiro, as pessoas que comungam da fé cristã se unem para relembrar o dia em que Jesus nasceu na humilde manjedoura de Belém. Infelizmente, o sentido essencial desta data, que deveria se prestar a uma reflexão coletiva sobre o modo como vivemos, perdeu-se por completo! Poderíamos aproveitar o Natal para incluir em nossas vidas pelo menos o principal mandamento de Jesus — “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei!”. Mas, em vez disso, nos acotovelamos nos shoppings, nos estressamos no trânsito, estouramos os limites do cartão de crédito… O Natal deixou de ser a celebração da pureza e transformou-se no enaltecimento do consumo.

E nada está mais distante do mais puro e cristalino sentimento cristão do que os cardápios natalinos. As pessoas se esquecem de que os primeiros adoradores de Jesus foram justamente os animais, e aquiescem na matança desenfreada que ocorre nesta época do ano. Quintuplica-se o abate de perus e outras aves; porcos, cabritos e carneiros também são mortos em proporções absurdas. As pessoas desejam “paz” em suas mensagens natalinas, mas enchem suas mesas com os cadáveres de criaturas inocentes. Ignoram os imensos danos que a indústria da carne acarreta ao meio ambiente e permanecem surdas ao argumento de que a carne em suas mesas significa a fome de milhões de pessoas. Ironicamente, pedem “saúde” no Novo Ano, enquanto se esbaldam em gordura animal. Aos poucos, esta entupirá suas veias e artérias, detonará seu fígado e afetará profundamente o equilíbrio de seus corpos e mentes.

Celebre um Natal diferente. Um Natal de paz e compaixão, de amor e generosidade, extensivos a todos os seres. Um Natal vegetariano, que pode ser lindo e farto, como bem merece a celebração do aniversário do Rei dos Reis, porém isento de vítimas. Um Natal cheio de comidas vivas e cheirosas, suculentas e suaves, deliciosas e boas para o seu organismo. Seu corpo ficará mais leve… e sua consciência, mais leve ainda!!!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Presenteie com sustentabilidade no Natal


Com o Natal se aproximando, uma das preocupações mais recorrentes são os presentes. Para quem leva em conta a questão sustentável nessa hora, a preocupação é maior ainda. Há duas opções, ou o consumidor se rende aos presentes disponíveis no mercado ou opta por usar a criatividade aceitando o desafio de construir algo que tenha um baixo impacto ambiental.

Seja por questão de tempo ou opção, a procura nas prateleiras por produtos sustentáveis que agradem mesmo quem não se preocupa com isso é difícil. Muitos produtos contribuem para a degradação ambiental, pois emitem gases tóxicos, consomem materiais não renováveis ou energia para seu funcionamento e também na fabricação. O professor Dr. José Henrique de Faria, coordenador do Mestrado em Organizações e Desenvolvimento da FAE, defende que é importante pensar primeiramente na qualidade e na sustentabilidade e não na quantidade. “Um produto de qualidade pode até ser relativamente mais caro, mas seu uso, sua durabilidade e o material utilizado fazem com que, no final das contas, ele venha a ser muito mais barato do que aquele de uso e descarte rápido”, explica Faria.

Além dos presentes materiais, Faria dá soluções mais diferenciadas. “O presente sustentável também pode ser mais que um produto material. Por exemplo, uma estadia em um hotel ou estância, uma viagem, um tour cultural (teatro, cinema, passeios), um jantar ou um dia em um parque de diversões com as crianças. Basta aliar afeto com criatividade”, diz o professor. Ele ainda comenta que poucas pessoas se preocupam com o consumo sustentável no país. A maioria esquece que as consequências de suas compras são exatamente a herança que irão deixar.

Outra alternativa é criar com o que não está sendo utilizado em casa ou abusar da reciclagem. Nesse sentido, a designer americana Cathe Holden dá várias ideias em seu site. O Justsomethingimade mostra que é possível produzir peças sustentáveis e criativas a partir de diversos materiais. “Como designer, reutilizar materiais é um desafio maior e mais excitante para mim. No site compartilho com as pessoas meus projetos, sempre pensando no mínimo de desperdício e impacto possível”, defende Cathe.

Fonte: Uol

sábado, 11 de dezembro de 2010

Meio ambiente é prioridade para brasileiro, mostra pesquisa

O levantamento, batizado de “Sustentabilidade: Aqui e Agora”, mostrou ainda que 60% dos entrevistados são favoráveis ao fim do uso de sacolas plásticas e 66% passariam a separar o lixo caso tivessem coleta seletiva no bairro.

Apesar dessa disposição para adotar medidas ambientalmente corretas, 90% dos pesquisados informaram que utilizam sacolas plásticas na hora das compras e só 27% compram produtos feitos de material reciclado.

Além disso, o preço elevado dos chamados produtos orgânicos, que chegam a custar 20% a mais do que os convencionais, ainda são uma barreira para o acesso dos brasileiros a esse mercado.

Segundo o estudo, apenas 27% dos pesquisados compraram algum tipo de alimento sem agrotóxicos no último ano. Outro dado que chama a atenção é que somente 13% substituiram o automóvel pelo transporte coletivo.

Sendo que o maior percentual foi registrado em São Paulo (18%). Com relação à informação sobre o meio ambiente, 52% responderam que têm pouco conhecimento sobre o tema, 26% disseram que estão bem informados e 22% não sabem nada sobre o assunto.

Para 63% dos entrevistados, a escola é a principal responsável pela divulgação de ações de preservação ambiental. Já a solução dos problemas ambientais é de responsabilidade das prefeituras, segundo 40% dos 1.100 entrevistados.

Fonte: Metro - 02/11/2010

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Qual tipo de fralda escolher: de pano ou descartável???


O dilema da escolha entre a fralda de pano e fralda descartável é conhecido há muito tempo. Afinal, o que é melhor para reduzir as agressões ao meio ambiente?

Usar fraldas descartáveis e feitas de plástico, que geram uma quantidade enorme de resíduos; ou optar pelas de pano e reutilizáveis, mas que gastam água e energia para lavar?

Na realidade, ambas têm prós e contras, e a maioria das pesquisas que busca medir os impactos das duas é feita por quem defende uma das candidatas.

Fraldas descartáveis

Prós:

- Segundo a Procter & Gamble, fabricante da marca Pampers, as fraldas comparadas com as de 20 anos atrás, elas agora pesam 40% menos e usam 80% menos embalagem.

- Os investimentos em inovação ajudam a diminuir o impacto ambiental. No caso específico da Procter & Gamble, a empresa tem uma nova tecnologia de absorção que permite reduzir em 30% a utilização de polpa de celulose. A embalagem é 35% mais compacta e 75% dela é feita de plástico reciclado. E sem interferir na absorção.

Contras:

- Uma análise da Real Diaper Industry Association, associação norte-americana que defende as fraldas de tecido, mostrou que as descartáveis tiveram 3x mais gastos na fabricação. E que os produtos envolvidos na obtenção de seu plástico seriam mais perigosos do que os usados na produção do algodão.

Fraldas de pano

Prós:

- Por ser de pano, pode ser reutilizada diversas vezes – o que reduz a quantidade de resíduos mandados diariamente para os aterros sanitários. De acordo com o site da Babyslings, marca brasileira de fraldas de pano, as rivais descartáveis levam em torno de 450 anos para se decompor quando jogadas no lixão.

- Estima-se que um bebê usa 5.500 fraldas em seus 2 primeiros anos de vida. Uma média de 2% do lixo das cidades corresponde às fraldas descartáveis. São Paulo, por exemplo, produz 13 mil toneladas diárias de lixo, sendo 260 toneladas de fraldas descartáveis.

Contras:

- Um estudo feito em 2008 pela agência de Meio Ambiente do Reino Unido concluiu que o impacto de ambas é parecido. As fraldas de pano causariam 40% menos dano ao meio ambiente se lavadas de forma consciente, sem gastos excessivos de água e energia. A agência ressaltou, no entanto, que o cuidado quase não acontece. Se a família enxaguar cada fralda duas vezes, usar secadora ou levá-las para a lavanderia de carro, o impacto ecológico é idêntico.


Independentemente da escolha, o importante é usar a fralda com consciência.

Fonte: Época

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Dormentes de plástico começam a ganhar espaço nos trilhos do país

A Wisewood, empresa de madeira plástica, com sede em Itatiba (SP), está em busca de investidores para promover sua expansão no país.

Primeira fabricante de dormentes de plásticos a partir de lixos residuais em escala industrial, a companhia tem contrato fechado com a concessionária de ferrovias MRS Logística e seus produtos já estão sendo testados pela Vale.

Criada em 2007 e com primeiro contrato fechado no início deste ano com a MRS, a empresa aposta agora no segmento de pisos industriais, utilizados em larga escala pela construção civil e também na fabricação de "decks" (revestimentos para áreas externas). A Wisewood é especializada em dormentes para reposição.

O controlador da empresa, Rogério Igel explica que a malha ferroviária é de cerca de 29 mil quilômetros no país, dos quais entre 1,5 milhão e 2 milhões de peças são repostas por ano. "Os dormentes de madeira que ficam em regiões que alagam, como a de Santos (SP), por exemplo, precisam de reposição a cada dois anos porque apodrecem."

Fonte: Valor Econômico, 22/10, pág. B1.

sábado, 6 de novembro de 2010

Cadela adota porquinho rejeitado na Espanha

Mais uma vez os animais ensinando ao homem como se tornar um verdadeiro ser racional!!!!

Bjs a todos neste manhã chuvosa e um ótimo fds!!!


Um porquinho foi adotado por uma cadela em uma fazenda da Espanha depois de ser rejeitado pelo açougueiro.

O leitão seria vendido para ser sacrificado e servido na ceia de Natal, mas o açougueiro da cidade espanhola de Cáceres rejeitou o animal, por ele ser muito pequeno. Mas, Diana, a cadela da família da dona da fazenda, resolveu adotar o porquinho.

Agora, o leitão vive como parte da ninhada de Diana, sendo amamentado e recebendo os cuidados de sua mãe adotiva, além de brincar com os irmãos.

Fonte: G1

domingo, 31 de outubro de 2010

Colégio recolhe lixo eletrônico


O desconhecimento de um local adequado para descartar carregadores de um telefone celular antigo, teclados de computador quebrados e pilhas usadas é um dos principais motivos para acumular esse tipo de lixo tecnológico em casa. A partir de ontem, munícipes de Santos, Guarujá e Praia Grande podem se livrar desse tipo de material em algumas unidades do Colégio Objetivo.

Todo o resíduo depositado será recolhido pela empresa Reciclo Ambiental, que dará o destino adequado para esse tipo de produto. Torres de computadores, monitores, teclados e celulares podem ser deixados nesses pontos em horário comercial. Pilhas e baterias serão encaminhadas para o Papa Pilhas, do Banco Real.

No próprio Objetivo, foi realizada uma campanha para o recolhimento de peças e componentes eletrônicos, que possuem elementos tóxicos, como chumbo, mercúrio e cádmio. Durante todo o ano letivo, os alunos participaram do projeto Biodiversidade em sala de aula e em eventos extras, exemplo do Fórum do Lixo Eletrônico, para tomarem ciência da importânciade descartar corretamente esses materiais do ponto de forma ambiental e socialmente responsável.

Conforme o diretor da empresa que fará a coleta dos resíduos eletrônicos nos colégios, Ronylson Rodrigues Freitas, esse trabalho já é realizado em alguns estabelecimentos de ensino da capital paulista, interior do Estado e até mesmo em Mato Grosso do Sul.

Ronylson revelou ainda que a Reciclo Ambiental promove um trabalho com professores e discentes das escolas técnicas estaduais (Etecs). Em breve, a entidade vai realizar uma grande videoconferência para tratar do lixo tecnológico. "Vamos oferecer para todas as Etecs do Estado interessadas em se tornar pontos de coleta desses produtos e levar o tema para os programas educacionais", ressaltou.


Confira os locais:


As pessoas podem levar, em horário comercial, os resíduos eletrônicos em quatro unidades do Colégio Objetivo da região:

Unidade Embaré - Av. Bartolomeu de Gusmão, 42, em Santos

Unidade Ponta da Praia - Av. Senador César Lacerda de Verguei- ro, 81 / 87, em Santos

Unidade Guarujá (Astúrias) - Avenida General Rondon, 50

Unidade Praia Grande (Caetés) - Avenida Caetés, 190


Fonte: Jornal A Tribuna

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Exposição em São Paulo apresenta carro produzido no Brasil totalmente sustentável

Um carro sustentável produzido no Brasil foi a grande atração da abertura da 19ª edição da Exposição Internacional de Tecnologia da Mobilidade, em São Paulo.

O automóvel é totalmente elétrico, pesa menos do que os atuais que estão em circulação e é construído com polímeros recicláveis. Os componentes são reforçados com fibras naturais e o carpete feito com material de garrafas plásticas recicladas. A roda não utiliza metal, é feita de plástico industrial mais leve que o alumínio.

Em 1994, a exposição foi palco da primeira aparição do carro com tecnologia bicombustível, lançado comercialmente em 2003 e que hoje é realidade nas ruas.

Segundo o presidente da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade do Brasil que organiza a feira, Besaliel Botelho, partes do carro sustentável devem estar em uso nos próximos anos. No entanto, ainda será necessário esperar mais tempo para que os carros elétricos passem a ser maioria.

“Há tecnologias que já estão em um dois anos no mercado e outras demoram um pouco mais. O tema da eletrificação do veículo, com certeza vai demorar mais. Há questões a serem discutidas, como modelo de negócios para veículos elétricos, como vamos abastecer. O tempo de recarga de bateria ainda são muito longos, de 12 horas de carga”.

A exposição ocorre no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 5 e 7 de outubro.

Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Iniciativa une em harmonia sustentabilidade ao design do empreendimento


Os frequentadores de um shopping de Porto Alegre depararam-se com uma novidade no empreendimento: desde a última semana, o local tem parede e telhado verdes. Tecnologia baseada no conceito de sustentabilidade, esse tipo de cobertura vai além do design que traz parte da natureza para o espaço, deixando-o mais agradável e contribuindo para o meio ambiente.

A técnica consiste em colocar tapetes de plantas nas superfícies planas ou inclinadas, proporcionando maior aproveitamento da água da chuva – que é utilizada para a manutenção do próprio jardim, isolamento térmico e acústico, diminuição do gasto de energia e da emissão de poluentes, como o gás carbônico, e limpeza da água pluvial, pois o sistema funciona como um filtro.

Quem cuidou da instalação foi a empresa especializada em infraestrutura urbana verde Ecotelhado. Para o projeto de adoção de um sistema de design sustentável no shopping Paseo Zona Sul, foram instalados 755m² de um produto que permite maior diversidade de plantas nativas, o sistema alveolar de ecotelhado. Os telhados verdes também são conhecidos como jardins suspensos.

Na praça existente no empreendimento, a opção utilizada foi a ecoparede, ou jardim vertical, tipo de cobertura que reduz a amplitude térmica, estendendo a durabilidade da estrutura do prédio.

Andrés Bruzzone Comunicação

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Rio recolhe quase um campo de Tupi em óleo vegetal

Ação iniciada em 2007 evita que 4,5 milhões de litros poluam rios e solos

Uma iniciativa de coordenação relativamente simples e custos baixos, mas com resultados de grande valor do ponto de vista da preservação ambiental, merece ser copiada. Desde abril de 2007, o Rio de Janeiro promove o Prove (Programa de Reaproveitamento de Óleo Vegetal), que recolhe óleo de cozinha e, assim, evita que o destino do produto seja a rede de esgoto das cidades e, consequentemente, polua as águas de rios, córregos e do oceano.

Segundo a Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Rio, pouco menos de 400 mil litros de óleo são encaminhados mensalmente ao programa, o que se traduz em 4,5 milhões de litros recolhidos a cada ano.

Na última semana, a captação do óleo vegetal foi ampliada e novos postos de coleta foram colocados próximos a prédios públicos na região central da capital fluminense, como o prédio da Secretaria de Estado do Ambiente. Além dos funcionários poderem destinar os produtos para descarte, estas repartições também poderão receber óleo vegetal de comerciantes das regiões próximas.

Todo o material é reciclado em cooperativas, o que gera renda aos cooperados. A ação faz parte dos investimentos do estado nas pesquisas e desenvolvimento de fontes alternativas de energia menos agressivas ao meio ambiente, como a produção de biocombustível, o que significa reduzir a emissão de poluentes causadores do aquecimento global e do efeito estufa.

Prejuízos


Quando jogado em lixões, aterros sanitários ou terrenos baldios, o óleo de cozinha é responsável por graves danos ao meio ambiente, uma vez que acaba por penetrar e contaminar o solo e lençóis de água.

Fonte: Terra

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Mutirão planta mais de 50 mudas de árvores em bairros de Santos


Cerca de 40 mudas de árvores foram plantadas nesta terça-feira, no bairro Campo Grande, em Santos. A ação, em comemoração ao Dia da Árvore, contou com a colaboração de estudantes do Colégio Lamec.

A iniciativa é do Rotary Clube de Santos, que doou 3.000 exemplares para replantio na Cidade, especialmente em áreas com menos árvores. O projeto ‘Plante árvore e ganhe vida’ é coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente.

Entre as espécies nativas doadas, originárias da mata atlântica, constam quaresmeiras, manacás da serra e ipês. Nessa primeira fase os locais de plantio foram as ruas Guararapes, Visconde de Farias, Xavier de Toledo, Duque de Caxias, D. Pedro II, D.João VI, Marise Barros e Marquês de São Vicente, todas no Campo Grande.

As estudantes do 9º ano do Colégio Lamec, no Marapé, fizeram uma pesquisa no bairro para definir os locais. "Realizamos um levantamento junto aos moradores que indicaram as áreas mais carentes de vegetação", disse a aluna Maria Paula Lopes.

No período da manhã, a Semam também plantou 25 mudas nos bairros Saboó, Bom Retiro e Castelo, na Zona Noroeste, dentro do programa de ampliação da arborização no município.

22 de setembro - Dia Munidal sem Carro - Confira a Programação

Para marcar a data em Santos, a ABC (Associação Brasileira de Ciclismo) organizou a seguinte programação:

8h30 – Pedalada com saída da Praça das Bandeiras, no Gonzaga, até o Parque Roberto Clemente Santini (emissário submarino), pela ciclovia da orla.

9h às 14h – Aula aberta de ciclismo, apresentação de canil da Guarda Municipal, rua de lazer, aferição de pressão e lançamento da campanha Eu Amo Pedalar, da ABC, no Parque Roberto Clemente Santini

No Parque Municipal Roberto Mario Santini, no Emissário Submarino, haverá das 9 às 14 horas, atividades educativas sobre as vantagens do uso racional dos automóveis.

PARTICIPE VC TAMBÉM DE MAIS ESTA INICIATIVA!!!!

Fonte: Jornal A Tribuna

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

21 de setembro - Cidades da Baixada Santista realizam plantio de mudas em comemoração ao Dia da Árvore


Em comemoração ao Dia da Árvore, celebrado nesta terça-feira 21 de setembro, a comunidade da Associação Bairro Cidade da Criança, em Praia Grande, fará o plantio de 167 mudas de árvores frutíferas. O objetivo é aumentar a oferta de alimentos para animais e pássaros que estão livres na natureza, uma vez que o bairro fica no pé da Serra do Mar.

A ação será desenvolvida por alunos da escola Cidade da Criança e da creche Sérgio Dias de Freitas – ambas municipais. A iniciativa conta com o apoio da Associação Assistencial Cidade da Criança. A atividade terá início às 14 horas.

Até o final do ano terão sido plantadas 350 mudas de árvores. Hoje, as crianças vão colocar na terra pés de limão, manga, jaca, pitanga, jambo, abacate, laranja, lichia, goiaba e acerola, além de outras oito espécies frutíferas.

Itanhaém

Na Cidade, a Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente, promoverá um trabalho de conscientização ambiental com o plantio de mudas na escolas municipais.

De acordo com a Diretora do Departamento, Paula Cecília Rosas Barbi, os técnicos da seção irão supervisionar as mudas plantadas nas unidades de ensino, onde avaliarão o crescimento vegetativo e promoverão a reposição das mudas que não se desenvolveram. As plantas virão do banco de mudas do setor, que hoje conta com aproximadamente 500 espécies.

Mongaguá

O Município realizará o plantio simbólico de mudas de árvores em unidades de ensino, além da realização de palestras.

As palestras acontecerão às 10 horas, na EMEF Hortência Quintino de Faria Botelho, no Jardim Praia Grande, e à tarde, às 14 horas, na E.E. Balneário Regina Maria, no Barigui.

Após a palestra, a Diretoria de Meio Ambiente distribuirá sementes de pau brasil, ipê e palmito jussara, além do plantio de mudas nativas.

Fonte: Jornal A Tribuna

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Brasil quer fazer Copa “verde” em meio a problemas ambientais

Realizar uma Copa do Mundo “verde” é uma promessa do Brasil, que busca construir estádios ambientalmente sustentáveis e prepara ações para alavancar a reciclagem, a coleta seletiva, os produtos orgânicos e os parques. Mas resolver entraves ambientais de anos parece ser uma missão difícil.

Ao mesmo tempo em que busca construir ou reformar estádios utilizando o reaproveitamento da água, o uso da energia solar, a reciclagem e a ventilação natural, o Brasil tenta superar problemas como os aterros, a sujeira das cidades, o esgoto não tratado, a drenagem e os altos índices de desmatamento e emissões de gases poluentes.

Desde a Mundial da Alemanha em 2006 a Fifa recomenda que os países-sede tenham uma preocupação ambiental na preparação das competições, e o Brasil pretende fazer uma Copa “verde”, como anunciou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em julho, no lançamento do emblema oficial de 2014.

A câmara temática do meio ambiente e sustentabilidade pretende equacionar os licenciamentos da infraestrutura necessária para a Copa, busca uma estratégia para alavancar a produção e distribuição de produtos orgânicos e sustentáveis até 2014 e planeja estruturar cerca de 40 parques – muitos deles deteriorados atualmente – para receber visitação no período da competição.

Como essas iniciativas são nacionais, a realização delas depende dos governos estaduais e municipais, e questões políticas podem ser envolvidas e impedir que as ações se desenvolvam por completo.

Para João Alberto Viol, presidente do Sinaenco, o Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva, o Brasil conseguirá cumprir parte do objetivo.

“Acho que vai ser mais uma missão feita mais ou menos, ao nosso estilo. Para fazer uma Copa verde nós temos que pensar no conceito da sustentabilidade: o equilíbrio do homem com o meio ambiente. E para isso, todas as soluções têm que ser pensadas sob esse aspecto: a obra, o local, o equilíbrio dela com o entorno”, disse Viol.

“Nós conseguiremos fazer alguns projetos com inovações, que venham de encontro à sustentabilidade, mas isso não está num plano global, em que todas as soluções foram discutidas e colocadas.”

Ele citou ainda problemas como os resíduos sólidos, os aterros, a sujeira das cidades, o esgoto não tratado e a drenagem como “pontos que afetam a visibilidade da Copa, mas não impedem a sua realização”.

Estádios “certificados” – O coordenador da câmara do meio ambiente e sustentabilidade disse que todos os estádios que usarão recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terão que ter um certificado com selos reconhecidos internacionalmente. O mesmo acontecerá para os hotéis.

Por enquanto, 9 dos 12 estádios da Copa entraram em contato com o banco. Porém, as obras estão atrasadas, o que despertou a preocupação da Fifa.

Ter um estádio “certificado” significa que ele obedece a uma série de exigências ambientais, conforme explicou o arquiteto Sergio Coelho, responsável pela construção do estádio de Cuiabá

A construção da Fonte Nova, em Salvador, utilizará um processo de reciclagem dos resíduos do antigo estádio, demolido no domingo. O entulho é fragmentado em pedaços ainda menores, separado do metal e da madeira, tornando-se um tipo de material apropriado para reaproveitamento em serviços de terraplanagem e pavimentação, informou a construtora responsável pelas obras.

O arquiteto Marc Duwe, que trabalha para a empresa que projeta a reconstrução da Fonte Nova, destaca “o reuso da água, o sistema da cobertura que usa menos aço e a ventilação natural” como fatores importantes do projeto.

Fonte: G1

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

22 de Setembro: Dia Mundial Sem Carro


É bom andar a pé, como diz a música de Wilson Simoninha. E, no dia 22 de setembro, você tem um motivo a mais para isso: aderir às ações do Dia Mundial sem Carro.

A comemoração surgiu na França, no final da década de 90, quando cidadãos de 35 cidades francesas decidiram deixar o carro em casa em busca de formas alternativas de se locomover. A idéia chegou ao Brasil em 2001 e o movimento não parou mais de crescer. A cada ano mais cidades brasileiras aderem com parcerias das prefeituras que fecham ruas e fazem ações de passeios de bicicleta ou caminhadas como ações de conscientização para o uso racional dos automóveis e de estímulo a formas mais sustentáveis de mobilidade.

O principal motivo da celebração é diminuir a quantidade de carros individuais nas cidades. Os problemas são os que já conhecemos: grandes congestionamentos, poluição do ar e sonora, isolamento urbano, acidentes fatais, problemas de saúde, alto consumo de combustíveis fósseis, gastos aos cofres públicos, queda de produtividade e redução da qualidade de vida.

No Brasil, de acordo com dados de 2010 do Denatran, existem 35 milhões de automóveis no país. A cidade de São Paulo é líder com a estatística de um carro por dois habitantes. Se você acha muito, nos Estados Unidos esse número é 1,3 habitante por carro, na Itália 1,5 habitante/carro e no Japão, Espanha, Canadá e Alemanha 1,7 habitante/carro.

Esses dados mostram o colapso que as grandes cidades em todo o mundo vêm sofrendo. Assim, mais de 40 países celebram o Dia Mundial Sem Carro. Especialistas alertam que o grande vilão não é o carro sozinho, mas a "cultura do carro" que se instalou fazendo com que as pessoas sonhem com carro próprio suportando um modelo insustentável.

Existem soluções possíveis para resolver o problema. Entre as medidas mais citadas estão o incentivo e o investimento no transporte público de forma a torná-lo eficiente e de alta qualidade, convencendo o usuário a trocar o seu carro individual por um modal coletivo.

Outra ideia é a criação de ciclovias e ciclofaixas nas principais ruas e avenidas das cidades e instalação de sistemas de aluguel e transporte de bikes, garantindo segurança e comodidade àqueles que optarem pela bicicleta como meio de transporte e o estímulo a práticas como a carona solidária e o planejamento individual, fazendo com que cada cidadão busque pessoas com roteiros semelhantes e se unam para reduzir a quantidade de carros nas ruas.

Além da mudança nos hábitos diários da população, existem outras medidas voltadas para as políticas públicas que defendem mudanças ainda mais rigorosas. Algumas cidades, como Amsterdã (Países Baixos), Copenhague (Dinamarca), Ottawa (Canadá), Freiburg (Alemanha), Bogotá (Colômbia), Londres (Reino Unidos) e Quarry Village (Estados Unidos), proibiram total ou parcialmente a utilização de carros em suas ruas, avenidas e centros históricos.

Elas também criaram outras medidas para desencorajar o uso do carro, como diminuir o número de vagas para estacionamento, cobrar pedágio urbano para quem circula de carro pelo centro, e aumentar o preço do combustível. Com zonas livres de carros, as ruas puderam ser "devolvidas" para a população, que passou a utilizar bicicletas, transporte coletivo e até mesmo ir a pé para lugares próximos.

Medidas integradas são, portanto, a palavra de ordem quando o assunto é mobilidade sustentável. A amplitude do conceito é tamanha que ela já chegou a lugares onde antes poderia não ter sentido, como os cursos de arquitetura. Novos modelos de urbanismo sustentável já buscam planejar nas plantas das cidades formas de torná-las conectadas e capazes de abrigar diversas funções em um mesmo espaço, evitando longos deslocamentos.

São listados a seguir 100 motivos capazes de convencer qualquer pessoa a abrir mão do volante, e não só uma vez por ano. Mas sempre que possível. Acompanhe:

1- Aumenta a liberação de endorfinas, ajudando no combate do stress, ansiedade e depressão.

2- Tonifica a musculatura das pernas, coxas e glúteos

3- Possui um gasto médio de 200-300 kcal/hora

4- Na subida o gasto calórico pode aumentar para até 450kcal/hora

5- Melhora a circulação sanguínea

6- Auxilia na prevenção de varizes

7- Auxilia no controle da pressão arterial

8- Auxilia no controle do colesterol, diminuindo o HDL( bom colesterol) e aumentando o LDL ( mau colesterol)

9- Aumenta a massa muscular

10- Melhora a atividade do sistema imunológico

11- Ajuda a prevenir a osteoporose, através da compressão imposta aos ossos pelo impacto da caminhada

12- Aumenta o metabolismo de repouso, aumentando assim o gasto calórico diário

13- Aumenta a capacidade dos pulmões absorverem o oxigênio

14- Auxilia no combate a diversos tipos de câncer

15- Alivia os sintomas da TPM

16- A caminhada durante a gestação pode facilitar o parto, por manter a musculatura firme

17- Acelera a recuperação pós-parto

18- Acelera a recuperação de cirurgias

19- Aumenta a força dos membros inferiores

20- Melhora flexibilidade

21- Acelera a atividade do sistema nervoso, auxiliando na condução de impulsos

22- Auxilia no controle postural, pois exige sustentação do tronco

23- Diminui riscos de derrame cerebral

24- Auxilia no controle e prevenção da diabetes

25- Ajuda a prevenir a obesidade

26- Auxilia no combate ao tabagismo

27- Melhora a auto estima

28- Combate a insônia

29- Praticamente sem contra indicações

30- Você fica mais disciplinado, pois caminhando para o trabalho, há horário a cumprir e com isso impõe um ritmo a seu organismo

31- Tem baixo custo. Basta apenas um calçado confortável com amortecedor

32- Aumenta o contato com o meio ambiente, ficando livre do ar condicionado do carro e do escritório

33- Auxilia na absorção de vitamina D, se realizada durante o dia devido à irradiação solar

34- Sem pegar o carro, você colabora com o trânsito

35- Colabora com o controle da emissão de gases que provocam o aquecimento global

36- Você fica livre dos congestionamentos e do stress que os engarrafamentos provocam aos motoristas

37- Deixando o carro na garagem, você gasta menos dinheiro com combustível

38- Você economiza com o altíssimo valor cobrado pelos estacionamentos

39- Pode fazer suas comprar durante a caminhada de ida e volta ao trabalho, evitando a perda de tempo em se deslocar somente para isso

40- Caminhar nas ruas permite observar melhor a arquitetura dos prédios e descobrir lugares nunca antes observados

41- Caminhar nos parques permite observar a natureza

42- Aumenta a percepção de umidade e temperatura

43- Caminhar em contato com a natureza pode reduzir ainda mais a ansiedade, pois a cor verde traz tranqüilidade

44- Podemos observar as nuvens no céu, o que dificilmente pode ser feito dentro de um carro

45- Podemos ver o nascer do sol enquanto caminha em direção ao trabalho

46- Podemos desenvolver a audição prestando atenção nos sons dos carros que se aproximam

47- Em um parque, podemos ouvir o cantar dos pássaros

48- Podemos ver o pôr do sol enquanto voltamos do trabalho

49- Enquanto caminhamos, podemos conversar com os amigos

50- Caminhando diariamente, você fica em forma e pode até economizar com a academia

51- Você ganha uma maior resistência aeróbica

52- Auxilia na tonificação da musculatura dos membros inferiores;

53- Aumenta o seu gasto calórico

54- Fortalece os tendões

55- O impacto da caminhada rápida ajuda na calcificação dos ossos, retardando ou evitando a osteoporose, problema que afeta principalmente mulheres

56- Ajuda a controlar a ansiedade

57- Combate a depressão

58- Controla a pressão arterial

59- Contribui para a diminuição dos valores da freqüência cardíaca de repouso (basal)

60- Estimula a socialização

61- Trabalha o equilíbrio do corpo

62- Fortalece as articulações

63- Reduz risco de arteriosclerose

64- Reduz o risco de AVC (acidente vascular cerebral)

65- Reduz risco de infarto do miocárdio

66- Auxilia no controle do colesterol

67- Auxilia no controle do diabetes

68- Aumenta a eficiência do sistema imunológico

69- Age no controle do estresse

70- Reduz o risco de câncer no cólon

71- Auxilia na prevenção do reumatismo

72- Ajuda na melhora da disposição para o dia-a-dia

73- Combate sentimentos de inadequação

74- Melhora a auto-estima

75- Ajuda no controle da obesidade

76- Diminui o risco de lesão devido ao baixo impacto (comprando à corrida)

77- Auxilia no ganho da massa óssea

78- Diminui o risco de varizes

79- Diminui o risco de lombalgia

80- Contribui para o aumento da flexibilidade

81- Aumenta a resistência anaeróbica

82- Ajuda a corrigir vícios posturais

83- Melhora a estabilidade articular

84- Contribui para a melhora de problemas de circulação

85- Considerada a prática mais segura de exercícios aeróbicos do ponto de vista ortopédico e cardiovascular

86- Ajuda a fortalecer braços e troncos (se houver boa utilização dos braços, no movimento da caminhada)

87- Ajuda na oxigenação cerebral, auxiliando na circulação do sangue pelo corpo

88- Traz a sensação de bem-estar

89- Auxilia no aumento da força

90- Reduz o risco de câncer de mama

91- Ajuda a combater a insônia

92- Aumenta a produção endorfina

93- Auxilia no combate à asma

94- Auxilia no trabalho digestivo

95- Melhora o metabolismo energético

96- Combate os radicais livres

97- Melhora a qualidade do sono

98- Retarda o envelhecimento

99- Contribui para a diminuição do risco do diabetes tipo 2

100- Diminui os triglicérides.


Fonte: terra

domingo, 22 de agosto de 2010

Rio pode ter usina para transformar o lixo dos cariocas em energia elétrica

O Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe) começa a elaborar a proposta de construção de uma usina para transformar o lixo da capital fluminense em energia elétrica.

Com o acordo, pesquisadores das duas instituições vão analisar a viabilidade técnica e ambiental da instalação de uma unidade de tratamento no bairro do Caju, na zona portuária da cidade, por onde passa metade do lixo produzido pelos fluminenses.

“O investimento pode ser até mais caro do que as tradicionais soluções para destinação de lixo e oferta de eletricidade. Mas como lixo é um combustível a custo negativo, pelo qual a sociedade paga para se livrar do problema, e o tratamento energético do lixo evitaria emissões de gases de efeito estufa, essas receitas adicionais podem ser contabilizadas como benefícios para esse tipo de aproveitamento energético”, estimou o pesquisador.

Basto disse ainda que o aproveitamento energético seria de 100%, considerando que a usina será instalada dentro da cidade, diferente, segundo ele, das hidrelétricas que atendem 80% da matriz energética do país. Por estarem distantes dos grandes centros urbanos, as hidrelétricas registram perda de cerca de 15% da eletricidade gerada.

Atualmente, o Rio de Janeiro produz 9 mil toneladas de lixo por dia. Os detritos são encaminhados a três estações de transferência da cidade: Caju (zona portuária), Irajá (zona norte) e Jacarepaguá (zona oeste). Dessas estações, o lixo é transportado para dois aterros sanitários.

A usina na estação do Caju, que recebe o maior volume de detritos da cidade, poderia chegar a 500 megawatts de potência instalada. Pelos cálculos do Coppe, a transformação de 9 mil toneladas de lixo em energia seria suficiente para abastecer 1,5 milhão de residências, com consumo médio de 200 quilowatt-hora por mês.

A presidente da Comlurb, Ângela Nóbrega Fonte, garantiu que a empresa vai fornecer todo o material para os estudos e espera abrir o processo de licitação para a construção da usina em seis meses. “Além do que já temos feito no aterro [sanitário] de Gramacho, minimizando a emissão de gases de efeito estufa, e em Seropédica, onde será construído um aterro sanitário controlado com licenciamento ambiental, essa novidade é muito importante para a população. Isso vai trazer mais recursos para a cidade e o meio ambiente vai agradecer”, comemorou Ângela Nóbrega.

Fonte: Carolina Gonçalves/ Agência Brasil

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Delegacias de Proteção aos Animais serão instaladas em municípios que tenham no mínimo uma seccional

Em resposta a solicitação do deputado Feliciano Filho, em reunião realizada em 11/05/10, ao Secretário Segurança Pública do Estado de São Paulo, serão instaladas delegacias especiais de proteção aos animais em todos os municípios que tiverem minimamente uma seccional em funcionamento.

Feliciano garantiu o cumprimento da proposta após um encontro realizado, em 10/08/10com o Delegado Geral de Polícia de SP, Dr. Domingos Paulo Neto. A articulação realizada apresentou resultados imediatos: em Bauru, a delegacia especializada começou a funcionar nesta segunda-feira, 09 de agosto, dando início ao programa que se estenderá para todo o Estado.

De acordo com o delegado titular da Seccional bauruense, Benedito Antônio Valencise, o 1º DP foi escolhido para presidir os inquéritos relativos a proteção dos animais. O endereço local é Avenida Comendador Daniel Pacífico, 217, Vila Falcão. Para mais informações, ligue: 14 3238-7377 e 3238-5151.

Fonte: http://www.felicianofilho.com.br/2010/

domingo, 15 de agosto de 2010

Filhote urso é salvo após 2 semanas com cabeça em pote


Um filhote de urso foi salvo na Flórida por um grupo de veterinários após passar mais de duas semanas com a cabeça presa em um pote de geléia. O animal, que recebeu o apelido de "Jarhead" (cabeça de pote, em inglês) teria ficado preso ao procurar comida em uma pilha de lixo na cidade de Weirsdale.

Segundo os veterinários da Comissão de Conservação da Pesca e da Vida Selvagem da Flórida (FWC, na sigla em inglês), o urso morreria em poucos dias se não fosse libertado do pote, por não conseguir comer ou beber água. Para conseguir retirar o pote de sua cabeça, os veterinários precisaram primeiro sedar a mãe do filhote.

Moradores da região começaram a ligar para a FWC há duas semanas para relatar terem visto o urso com o pote preso à cabeça. O filhote, com a mãe e dois irmãos, eram vistos regularmente procurando comida em depósitos de lixo de Weirsdale.

Armadilhas
Inicialmente, os veterinários haviam tentado capturar o urso com armadilhas, mas não tiveram sucesso. Após oito dias de aparições na cidade e dois dias sem serem vistos, os especialistas começaram a temer pela vida do filhote. Mas na sexta-feira, quando os ursos retornaram, a equipe da FWC foi chamada ao local.

Eles atiraram um dardo tranquilizante na mãe ursa, antes de agarrar o filhote rapidamente, apenas pelo tempo necessário para retirar o pote de sua cabeça. Os veterinários mantiveram depois a família de ursos sob vigilância por um dia antes de devolvê-los ao seu habitat natural.

Apesar de terem conseguido salvar o urso, a FWC mostrou insatisfação sobre o caso. "Ainda que pareça que esta história tem um final feliz, na realidade ilustra uma das piores coisas que podem acontecer quando animais selvagens se alimentam de lixo deixado pelos humanos", afirmou a entidade por meio de um comunicado.

Fonte: uol

sábado, 14 de agosto de 2010

2010Emissões de CO2 caíram 1,3% em 2009, diz instituto alemão


As emissões mundiais de dióxido de carbono caíram 1,3% em 2009, passando de 31,5 bilhões de toneladas em 2008 para 31,3 bilhões de toneladas, no primeiro declínio anual em uma década, informou o instituto privado alemão da energia renovável IWR, com base em informação oficial e em pesquisas próprias.

Segundo a entidade, que fica em Muenster e atua como conselheira de ministérios alemães, a produção de CO2, que provoca aquecimento do clima, diminuiu por causa da crise econômica mundial e do aumento dos investimentos no uso de fontes renováveis de energia para uso na geração de energia, aquecimento e transporte.

Mas o instituto manteve a recomendação feita no ano passado de que os investimentos mundiais em energia renovável deveriam ser quadruplicados, passando a 500 bilhões de euros (US$ 644,2 bilhões) por ano em todo o mundo, para reverter a tendência de descontrole na poluição por CO2.

A entidade alemã divulgou uma tabela listando as emissões de dióxido de carbono em 65 países em 2009 e suas recomendações de investimento, com base em um cálculo próprio de quanto cada país deveria gastar em energia renovável, conforme sua produção, para estabilizar o consumo mundial de combustíveis fósseis.

Os dados têm como referência um cenário de permissões de emissões europeias de carbono com preço fixado em 16 euros a tonelada. O preço atual de mercado para as permissões está em 14,5 euros.

Brasil abaixo no ranking - Na tabela, a China aparece como a maior emissora, com 7,42 bilhões de toneladas em 2009, seguida dos Estados Unidos, com 5,95 bilhões de toneladas e Rússia, com 1,53 bilhão de toneladas, logo antes da Índia e seguida pelo Japão.

O Brasil aparece estranhamente apenas na 15ª posição, com 414,7 milhões de toneladas em 2009. O dado é bem inferior ao do Inventário Brasileiro das Emissões e Remoções Antrópicas de Gases do Efeito Estufa de 2009, referente a 2005, que indicou 2,20 bilhões de toneladas.

Comparativo da Folha em 2009 colocava o Brasil na 5a posição – cujas emissões são puxadas especialmente pelo desmatamento e pecuária, assim, fatores não levados tão em consideração pelo instituto alemão.

A estimativa do instituto é que o Brasil precisaria investir US$ 6,6 bilhões em energia renovável.

Fonte: Folha.com

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Casinhas para animais de estimação já são sustentáveis e podem ser recicladas



Muitos ambientalistas culpam animais de estimação, principalmente cachorros e gatos, por uma parcela grande de poluição ambiental, já que consomem grandes quantidades de produtos e ração.

Mas já existem no mercado vários produtos que pretendem amenizar esse impacto. Um exemplo são as casinhas em papelão, da marca Ecobichos. O material é 100% reciclável e evita o uso de produtos químicos para a limpeza. Além disso, realiza trabalhos com cooperativas de catadores de papelão, ajudando comunidades carentes.

Bruno Pellegatti e Gunther Prux, criadores da marca, explicam que a matéria-prima utilizada tem certificação ambiental e todo o ciclo é sustentável. A maior dificuldade para esse produto foi a criação do conceito e das primeiras peças, já que não existia ainda nada parecido no mercado.

“A idéia surgiu há mais ou menos um ano, quando percebemos que não existiam alternativas ambientalmente corretas no mercado de casinhas para cães e gatos. Acreditamos que os consumidores de produtos pets sejam pessoas com elevada consciência ambiental, que busquem maior harmonização com o meio-ambiente e, assim, surgiu a inspiração para produzir casinhas sustentáveis e divertidas para pets”, comenta Bruno.

Fonte: uol

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Pedalando e plantando

Para o grupo Pedal Verde, todo último domingo do mês é dia de pedalar e plantar mudas de árvores em São Paulo. Ninguém precisa ser um ciclista profissional para participar do passeio, que ocorre em parques ecológicos e áreas urbanas. Basta disposição de montar a bike e seguir pela cidade, com objetivo de contribuir com a natureza.

Os encontros dos ciclistas ocorrem há quase um ano e meio. As mudas a serem plantadas são escolhidas depois de um contato com a prefeitura. A ideia é saber com antecedência se há projetos de construção para o local, o que levaria à remoção das plantas tempos depois.

Outro motivo é confirmar o nome de espécies adequadas à biodiversidade da região. Àrvores exóticas; isto é, que originalmente não fazem parte da flora local, podem prejudicar o desenvolvimento das nativas. Além disso, algumas árvores têm raízes tão fortes que, quando crescem, causam danos a calçadas e casas.

Juliana Pereira, que integra a turma do Pedal Verde, formou-se em Design. Com o tempo, viu-se atraída pela ecologia e se especializou em temas relacionados ao meio ambiente. Hoje, é paisagista e educadora ambiental do projeto Árvores Vivas. "Quando via as árvores, sempre tive curiosidade de conhecer seus benefícios, como matéria-prima para fabricação de remédios, entre outros, explica."

Redação Custom Editora

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Barco feito de garrafas pet termina travessia do Oceano Pacífico



Um barco feito com 12.500 garrafas pet recicladas chegou nesta segunda-feira (26) ao porto de Sydney, depois de quatro meses de travessia do Oceano Atlântico. O objetivo da viagem era chamar a atenção para os riscos que o lixo plástico significam para os mares.

O Plastiki é um catamarã de 18 metros de comprimento. A tripulação, de 6 pessoas, contou que enfrentou fortes tempestades durante a travessia, que começou em 20 de março em São Francisco, na Califórnia.

Durante o trajeto, eles pararam em várias ilhas do Pacífico, como Kiribati e Samoa.

David, de 31 anos, disse que teve a ideia da jornada depois de ler um relatório das Nações Unidas, em 2006, que dizia que a poluição, principalmente a do plástico, era um risco para os oceanos.

O barco é quase inteiramente feito de garrafas, unidas por uma cola orgânica feita de cana e de caju, mas também inclui outros materiais.

“A jornada do Plastiki é uma jornada do lixo ao triunfo”, disse Jeffrey Bleich, embaixador dos EUA na Austrália, que recebeu a equipe.

Mais informações acessem o site oficial da expedição: http://www.theplastiki.com/
Fonte: G1

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Galo pensa que é pinguim!!!


Mumble é um galo. Mas pensa que é um pinguim!

A ave, que vive na fazenda de Lu Xi, na China, anda como se fosse um pinguim. Veja:

O nome, dado pela imprensa de Jiangsu, veio do desenho animado "Happy Feet", em que um pinguim não sabe cantar e, então, apela para a dança.

"Não vi o desenho, mas gosto do nome, embora a minha ave não possa dançar. Acho que também não pode nadar", disse Lu.

O jeitão de Mumble o poupou de virar refeição.

"Eu e a minha família gostamos dele e decidimos não colocá-lo na panela", comentou o chinês.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Militar resgata filhote de cão chutado como bola no Afeganistão



É .... ainda existe gente com coração neste mundo, porém outras infelizmente devem ser exiladas do planeta!!!!!

bjs a todos da Tatinha


Um filhote de cachorro com apenas alguns dias de vida foi resgatado por uma militar britânica no Afeganistão que o viu ser chutado como uma bola de futebol por um grupo de crianças.

Segundo a médica militar Sarah Marriott, de 30 anos, o cão era do tamanho de sua mão quando ela o resgatou, há seis meses, durante uma patrulha a pé na província de Hellmand.

Ela diz que o dono do filhote havia pedido aos meninos que o afogassem, porque ele não o queria. Em sua descrição, as crianças tratavam o cachorro como um brinquedo.

A soldado diz que quando o encontrou, o cão estava em um estado tão precário que ela achou que ele não conseguiria sobreviver.

Marriott levou o cão à sua base e conseguiu recuperá-lo graças a uma dieta de mingau de aveia e apresuntado enlatado, além de muito carinho.

Transporte

Após seis meses de tratamento, ela conseguiu que a organização de proteção dos animais Nowzad Dogs o transportasse de avião para o Reino Unido.

O filhote foi batizado de Reorg, que é um jargão militar para descrever uma sessão de análise de uma operação após sua execução.

Reorg foi levado o Reino Unido no compartimento de carga de um avião, ao custo de 3.500 libras (cerca de R$ 9.600) e está em quarentena em um canil na região de Devon, no oeste do país.

Assim que o cachorro for liberado da quarentena, Marriott pretende entregá-lo a parentes para que cuidem dele.

Fonte: uol

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Uma História sobre a Coragem Animal

Pessoal bom dia

Recebi esta linda história por e-mail e gostaria de compartilhá-la com vcs!!!
Uma grande lição de esperança e força!!

bjs a todos e um ótimo início de semana!!!


Molly é uma égua salpicada de cinza que foi abandonada pelos seus donos quando o furacão Katrina atingiu o sul da Louisiana. Ela passou semanas perambulando solta antes de finalmente ter sido resgatada e levada a uma fazenda onde animais abandonados estavam aglomerados... Enquanto esteve lá, ela foi atacada por um cão pitbull terrier e quase morreu. Sua pata direita dianteira mordida se infecionou, e seu veterinário buscou ajuda na LSU, mas a LSU estava sobrecarregada, e esta égua estava abandonada.

O cirurgião Rustin Moore ao encontrar Molly, mudou de idéia. Ele observou como a égua era cuidadosa ao se deitar em lados diferentes para não desenvolver
feridas, e como ela deixava que as pessoas cuidassem dela. Ela protegia sua pata machucada, mudando constantemente seu peso para não sobrecarregar a pata boa. Ela era um animal inteligente com uma grande ética de sobrevivência.

Moore concordou em amputar sua pata abaixo do joelho, e construiram um membro artificial temporário. Molly saiu caminhando da clínica e sua história realmente começa aqui.

"Este era o cavalo certo com um dono certo" - Moore insiste. Molly foi uma paciente especial. Ela era muito resistente, mas ao mesmo tempo doce, e tentava colaborar mesmo sentindo dor. Ela compreendia que estava em dificuldades. Além do mais, conseguiu uma nova dona que realmente se dedicou a providenciar os cuidados diários necessários por toda a vida do animal.

A história de Molly tornou-se uma parábola de vida na Louisiana pós-Katrina....

Esta pequena égua ganhou peso e sua crina ganhou mãos que a penteasse. Um desenhista de prótese humana construiu sua perna. O protético deu à Molly uma nova vida, diz Dra. Allison Barca, veterinária de Molly.

E ela pede ajuda. Ela estende sua pata amputada, e vem até você pedindo que coloque a prótese no lugar. Algumas vezes ela quer que a prótese seja retirada.


O mais importante de tudo - Molly tem um novo trabalho.
Kay a proprietária da fazenda de resgate começou a levar Molly a abrigos, hospitais, asilos e centros de reabilitação em qualquer lugar onde ela via que as pessoas precisavam de esperança. Aonde Molly ia, ela mostrava às pessoas sua pata. Ela inspirava as pessoas e se divertia fazendo isso.

"É óbvio que Molly tem um grande papel a desempenhar na vida" - Moore disse. Ela sobreviveu ao furacão, já sobreviveu a um grave ferimento e agora está passando esperança para outras pessoas.

Dra. Barca concluiu: "Ela ainda não voltou ao normal, mas está melhorando cada vez mais... Para mim, ela é símbolo de força e coragem."

sábado, 24 de julho de 2010

Caixões biodegradáveis viram solução para problema funerário da China


Mãos com luvas imaculadas levam as urnas biodegradáveis, criadas por uma empresa espanhola com base na China, que devolverão os corpos à sua origem para cumprir o que disse o sábio chinês Confúcio: "O homem vem da terra e descansa quando retorna à terra".

O segredo destes caixões, fabricados com areia e proteínas naturais, é que não ocupam espaço, não poluem e não é necessário cortar árvores para fabricá-los, já que são biodegradáveis: os que são enterrados se desintegram em um período de 6 a 9 meses, e os que submergem em 45 minutos ou 1 hora.

A cerimônia em massa, ou "enterro coletivo", organizada em Tiajin, é a quarta realizada pelo cemitério Yongan desde que contratou os serviços da empresa Shengtai.

O Governo chinês obriga os familiares a cremá-los, assumindo os custos do processo, para depois deixá-los descansar em columbários (câmaras para depósito de cinzas) por 20 anos ou enterrar por cerca 10 mil iuanes (US$ 1.475).

A proibição nasce como medida para combater os problemas que surgem no país asiático, com 10 milhões de mortes anuais: a falta de espaço nos cemitérios e a poluição e o desmatamento provocados pela produção de caixões de madeira.

O conceito que a Shengtai quer expandir na China é totalmente revolucionário, já que os chineses se espantam com o conceito biodegradável, pois a tradição é venerar os corpos de pessoas mortas, e se eles se misturarem com a terra ou a água, deixarão de existir fisicamente.

Os familiares conservam as cinzas em urnas, pois não têm dinheiro para enterrá-los ou, no caso do falecimento do membro de um casal, por exemplo, o que fica vivo espera a morte para que sejam enterrados juntos.

Os cemitérios e empresas funerárias dos EUA também são um público alvo, onde começaram a operar este ano com uma venda mínima de 20 mil unidades.

O preço oscila entre 200 e 500 iuanes (US$ 29 e US$ 74).

As famílias das pessoas que são enterradas segundo esse processo poderiam pensar que nunca mais poderão homenagear seus entes queridos, mas não será assim. A tradição chinesa se modernizará, e poderá seguir havendo homenagens através das telas e muros de mensagens personalizados e fotos, entre outras ideias, que os cemitérios de Tianjin e Nanjing vão inaugurar para honrar os que retornaram definitivamente às suas origens.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Plantas em escritórios servem como filtros naturais de ar


Hoje em dia é muito comum ver funcionários de um mesmo escritório “culparem” o uso do ar-condicionado por problemas respiratórios e doenças crônicas. Porém, muitas vezes isso acontece por causa das longas horas que este funcionário passa em um ambiente fechado, que pode sofrer com a chamada “síndrome do prédio doente”.

Esta síndrome acontece em locais que possuem ar-condicionado sem manutenção e um grande número de máquinas, fazendo com que o ozônio acumulado no escritório fique preso no ambiente. De acordo com pesquisa realizada pela Universidade do Estado da Pensilvânia, ambientes fechados que contam com vasos de plantas, apresentam uma concentração mais baixa de poluentes.

Para Carla Toledo, designer floral e proprietária da Reserva Floral, um dos benefícios do uso de plantas no ambiente de trabalho é a possibilidade de ter um filtro natural de ar, capaz de filtrar as impurezas existentes em um ambiente sem ventilação natural. “Por serem locais fechados, os escritórios possuem como grande vilão os poluentes liberados por aparelhos eletrônicos como ar-condicionado, impressoras e copiadoras. As plantas domésticas são ideais para estes locais, pois são purificadores naturais e retiram toda a poluição do ambiente”, afirma Carla Toledo.

A designer conta que muitas empresas têm investido num serviço chamado Assinatura Floral, que apresentou um crescimento de 20%, em relação ao ano passado, e que garante a entrega de arranjos e flores frescas semanalmente nas empresas.

Além de purificar o ambiente, as flores e plantas também podem melhorar o desempenho no trabalho. Um ambiente agradável pode fazer toda a diferença na dedicação de um profissional. Durante pesquisa realizada pela Universidade do Texas, homens e mulheres demonstraram mais pensamento criativo e apresentaram soluções mais originais para os problemas propostos no ambiente com flores e plantas.

Fonte: JB Online

terça-feira, 13 de julho de 2010

Esterco de cavalaria real irá gerar energia no Reino Unido

O esterco dos cavalos da Tropa do Rei, unidade de cavalaria cerimonial do Exército britânico, terá a partir do ano que vem um novo destino: a produção de energia para a nova sede do regimento, no sul de Londres.

Segundo um porta-voz do Ministério da Defesa britânico, as fezes de 170 animais da Tropa do Rei serão utilizadas para gerar biocombustível.

A unidade usará o combustível quando mudar de sua atual sede, no bairro de St. John's Wood, no noroeste de Londres, para Woolwich, no sul da capital britânica.

O Ministério diz que a mudança está de acordo com o objetivo do novo governo de reduzir as emissões de carbono.

FEZES E PALHA

Além das fezes dos cavalos, a palha usada nos estábulos também será transformada em biocombustível.

Segundo o porta-voz, o Ministério cumpriu com a meta prevista de reduzir as emissões em 12,5% em relação ao ano fiscal de 1999/2000 já em 2008/2009, dois anos antes do previsto

Fonte: folha.com

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Barak Obama quer nova política de Transporte Sustentável


A nova política de transportes norte americana para 2010 a 1015, amplia os debates sobre meios de transportes públicos e infraestrutura mais sustentável nos Estados Unidos, além de estimular a pesquisa, o desenvolvimento de novas tecnologias e inovação para o setor de transportes.
De acordo com o governo americano, será preciso criar um sistema de transportes que atendam as necessidades da população americana de forma eficiente e sustentável. A prioridade do Departamento de Transportes (DOT) é o desenvolvimento de Planos Estratégicos para transformar a atual orientação focada em infraestrutura, num verdadeiro sistema multimodal, com o objetivo de oferecer aos passageiros, um meio de transporte conveniente, econômico e ambientalmente sustentável.
Analistas consideram que o governo deveria apoiar a transição de combustíveis fósseis para fontes alternativas num horizonte de 20 a 40 anos, quando o mercado poderá ter a disposição uma variedade de opções mais baratas e disponíveis, tais como células de combustível, bateria, bateria elétrica, hidrogênio, biodiesel e gasolina verde.
Mas não será apenas a tecnologia que poderá salvar o novo plano de Transportes do Governo Obama, vai ser preciso um plano que estimulem as empresas a trabalharem a redução de seus deslocamentos, vai ser preciso também mudar o velho paradigma do americano, o desperdício de energia em deslocamentos desnecessários através de programas de racionalização do uso de transportes individuais. Se os Estados Unidos trabalharem no conceito de redução de deslocamentos desnecessários, não será necessário a construção de infraestrutura baseado no aumento de demanda de deslocamentos individuais decorrentes do crescimento econômico, esse é o ponto a ser discutido.

Cidades Compactas

Outro ponto importante revela a preocupação do governo com a promoção do que eles chamam de “Comunidades Habitáveis”, locais onde o transporte, habitação e desenvolvimento comercial e sustentável devem caminhar juntos, de modo que as pessoas tenham acesso adequado a opções de deslocamentos a preços acessíveis e ambientalmente sustentáveis. O Presidente Obama desafiou todas as agências públicas federais a trabalharem e inovarem em torno deste objetivo, além de formar uma parceria inter-ministerial, Transportes (DOT), Desenvolvimento Urbano (HUD) e Proteção Ambiental (EPA) para disponibilizarem acesso as informações necessárias para o desenvolvimento de deslocamentos ambientalmente sustentável.

Energia

A administração Obama está comprometida com uma política Nacional de Energia que enfatiza a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), Gases tóxicos e outras substâncias nocivas a saúde pública e também o consumo de combustíveis fósseis.

Práticas Ambientalmente Sustentáveis.

O documento destaca o uso de estratégias para o desenvolvimento de políticas ambientalmente sustentáveis no setor de transportes.

-Promover melhores práticas em planejamento de Transportes, construção, operação e manutenção que aumentem a sustentabilidade dos transportes;

-Promover o uso de sistemas de gestão ambiental como ferramenta para aumentar a sustentabilidade de aeroportos, auxílios a navegação, portos, sistemas de trânsito e outras instalações de Transporte;

-Incentivar a Indústria a desenvolver e implementar tecnologias inovadoras mais sustentáveis e aplicar a análise de ciclo de vida de produtos e processos;

Avaliar os impactos nas mudanças climáticas na construção de infraestruturas de transportes e deslocamentos a trabalho, incorporar essas avaliações nos esforços de planejamento de transportes e realizar pesquisas avançadas que promovam estradas mais ecológicas, criando modelos que não apenas reduzem os impactos ambientais, mas que na verdade trabalham para reduzir a poluição ambiental. Como por exemplo tornar a infraestrutura rodoviária um modelo de respeito ao meio ambiente através da expansão de pesquisas e utilização de técnicas de reciclagem, utilização de materiais renováveis, permeáveis com técnicas inovadoras para reduzir o escoamento de águas pluviais, bem como contribuir com a qualidade do ar e geração de eletricidade.

Metas:

-Redução de 30% do uso de petróleo em veículos até 2020.

-Redução em 20% do gases de efeito estufa até 2020

-Reciclagem de 50% dos resíduos até 2015

-Garantir que 95% de todos os contratos vão cumprir os requisitos de sustentabilidade.

Fonte: http://mobilidadesustentavel.blog.uol.com.br/

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Lar para Cães Guia


Vem do Japão uma das melhores imagens que se pode ter sobre o respeito pelos animais, em geral, e pelos cães, em particular.

Em Sapporo, na ilha de Hokkaido, foi criado em 1978 um lar para cães-guia que atingiram a idade limite para trabalhar e que necessitam de um último lar que os acolha na velhice, com todos os cuidados, como os que estes animais tiveram antes para alguém que precisou deles.

Esse espaço, o Casa de Repouso para Cães Sapporo, acolheu desde que foi fundado, há quase 33 anos, mais de 250 cães-guia que ali cumprem um período de transição entre o fim da sua vida útil como cães-guia e o início de uma velhice que se espera tranquila. Esta nova fase tem de ser «aprendida» pelos animais, já que durante muitos anos viveram com muitas regras e comandos que nesta altura da sua vida deixam de fazer sentido, pois não vão mais ser necessárias. Os cães-guia deixam de ser utilizados para trabalhar por volta dos 11 ou 12 anos, pois é por essa altura que começam a perder algumas das suas inegáveis qualidades e podem assim colocar em risco a vida daquele que tentam ajudar e proteger no dia-a-dia, mas também a sua.

As instalações foram pensadas ao pormenor. Não existem escadas, mas antes rampas com pouca inclinação, para que subi-las seja fácil para os cães. Existe um SPA, um ginásio, uma enfermaria, camas individuais, espaço comum, jardim cemitério e até um pequeno altar onde todos os anos é celebrado um serviço religioso em memória dos cães que por ali passaram e que já morreram.

Para cuidar dos animais existe um conjunto de pessoas que trata do espaço e dos animais 24 horas por dia, fornecendo-lhes a alimentação, cuidados de saúde permanentes, passeios e mimos que passam por banhos, escovagem e até massagens.
Muitos dos animais que por ali passam acabam por ter já muita falta de mobilidade e precisam de quem os vire, os limpe e os alimente e para isso há sempre um par de mãos disponível, para que a vida dos animais seja o menos sofrida possível, quando se encontram nessas condições terminais.

Não satisfeitos ainda com as já excepcionais condições das instalações, a direcção da instituição está já a pensar triplicar a área comum destinada aos cães e ainda tentar melhor as condições até aqui criadas.

Nem todos os cães que passam pelas instalações da Associação de Cães-Guia de Hokkaido ficam aqui até ao fim dos seus dias. Muitos voltam às famílias que os acolheram em cachorros, outros são adotados por novas famílias e outros até acabam por encontrar abrigo nas casas dos funcionários e voluntários da instituição. O fato de serem animais com muitas regras interiorizadas e muito tranquilos ajuda numa primeira fase à sua adoção e, depois de passarem por esta instituição, na sua integração.

Mas nem tudo é fácil, ainda, no Japão. Apesar de já haver leis que estabelecem a possibilidade de os cães entrarem em todos os locais onde o dono vá, muitas vezes são ainda confrontados com alguma ignorância, de condutores de transportes públicos, de táxis, porteiros de hotel ou empregados na área da restauração que se recusam a deixar entrar os cães, mas as mentalidades parecem estar a mudar rapidamente.

Até lá, a Associação de Cães-Guia de Hokkaido vai continuar a treinar cães-guia para aqueles que precisam, a acolher o melhor possível os cães no fim da sua vida útil e a tentar alterar as mentalidades daqueles que fecham as portas aos invisuais quando acompanhados pelo seus cães.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Cubatão quer reduzir lixo com programa comunitário


A Prefeitura de Cubatão lançou ontem o programa Agente Socioambiental. O projeto pretende impulsionar o trabalho de coleta de materiais recicláveis e reaproveitáveis, como lixo seletivo e óleo de cozinha.

Inicialmente, o programa funcionará em fase piloto, com qualificação de 25 agentes da Vila dos Pescadores pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

A ideia é que pessoas da própria comunidade sejam capacitadas para recolher os produtos e reaproveitá-los. No caso do óleo de cozinha, haverá transformação em biodisel, sabão e detergente.

Para executar o trabalho, os agentes receberão bolsaauxílio de R$ 500 mensais. Simultaneamente, eles deverão fazer um trabalho de conscientização junto aos moradores para que haja redução na produção de lixo e para que os resíduos sólidos tenham destino adequado.

Fonte: Metro Santos - 07/07/2010

segunda-feira, 5 de julho de 2010

EUA fazem operação para salvar 70 mil ovos de tartarugas da maré negra


Uma das maiores operações para salvar tartarugas marinhas da história será realizada nos próximos dias no Golfo do México, com a retirada de 70.000 ovos destes animais de praias sujas de petróleo na Flórida e no Alabama, informaram as autoridades.

Para evitar que as crias se contaminem ao nascer com o petróleo das praias, os ovos serão transportados em caminhões de uma conhecida empresa de correio privado 1.000 km até a região de Cabo Cañaveral, no Atlântico, e colocados em um depósito para ser incubados sob condições similares às de um ninho na areia, informaram funcionários de entidades ambientais.

“O período de incubação dura entre 50 e 60 dias e quando estiverem no ponto de eclosão, os ovos serão levados às praias do centro-leste da Flórida durante a noite para que (as tartaruguinhas) possam entrar no mar”, disse Patricia Behnke, encarregada de conservação de espécies de hábitat na Comissão de Conservação da Vida Silvestre da Flórida (FWC), à AFP.

As praias da Flórida reúnem a maior concentração de ninhos de tartaruga dos Estados Unidos. As tartarugas dão cria entre abril e setembro, e um grande número de ninhos fica na região noroeste deste estado do sul dos EUA, alcançada pelo gigantesco vazamento de petróleo da companhia petrolífera britânica BP.

“Há 700 ninhos de tartaruga na Flórida e a área afetada, e o número de ovos em cada um está entre os 100 e os 128″, disse Behnke, elevando o total de crias resgatadas eventualmente para 70.000.

“Um plano como este não tem absolutamente nenhum precedente e é algo que os cientistas não queriam nunca ter que fazer”, mas “as crias enfrentariam um alto risco e muito provavelmente não sobreviveriam” ao contato com o petróleo, disse a agente.

O plano de coleta de ovos de tartarugas, que se realiza escavando na areia praticamente com as mãos para não danificá-los, estará em pleno funcionamento em meados de julho e que se estenderá por quatro meses, explicou.

Temos pessoas que trabalham como voluntários e vão diariamente muito cedo à praia pra revisar os ninhos e qualquer que seja o número de ovos, os colocam em um recipiente especialmente acondicionado com areia e outros elementos de proteção, na qual são transportados fora da área", informou.

Trabalham na operação de salvamento, além da FWC, o Serviço federal de Pesca e Vida Silvestre (USFWS) e a agência oceânica e meteorológica americana (NOAA).

A NOAA admitiu, por sua vez, que a maciça operação não é o ideal porque muitos ovos poderiam sofrer danos por falta de condições adequadas, mas afirmou que não fazê-lo poderia implicar em perder quase uma geração inteira – quase todos os filhotes de tartarugas marinhas deste ano – na região norte do Golfo.

O maior número de tartarugas resgatadas corresponderá à espécie tartaruga-cabeçuda, a maior tartaruga marinha de casco duro do mundo, que na idade adulta alcança mais de 80 kg.

Grupos de proteção de animais disseram esta semana que 430 tartarugas, algumas delas de espécies em risco de extinção, morreram até o momento por causa do vazamento de petróleo da BP, iniciado em 20 de abril, e que se tornou o maior desastre ecológico da história dos Estados Unidos.

Fonte: Yahoo

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Soltar Balão não é Legal, é Crime Ambiental


As graves conseqüências decorrentes da soltura de balões levou a Polícia Militar do Estado de São Paulo, por meio da Polícia Ambiental, a desenvolver a campanha “Soltar Balões não é Legal, é Crime Ambiental”.

Nos meses de junho e julho, agrava-se a situação, em razão das condições climáticas que tornam o ar mais seco, criando condições favoráveis à propagação de incêndios, principalmente florestais. Infelizmente, apesar dos esforços dos órgãos de segurança, anualmente são noticiados grandes incêndios que tiveram como causa a queda de balões.

A soltura de balões, assim como a fabricação e o transporte é crime, pois pode provocar acidentes e destruição do meio ambiente. Esta prática está na Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9605/98), sendo que o infrator está sujeito a uma pena de um a três anos de detenção, além de estar sujeito a uma multa de até R$ 5.593,99.

Outras formas usadas pela PM Ambiental para prevenir estas ocorrências são manter vigilância constante em prováveis locais de soltura de balões e o monitoramento dos grupos de baloeiros. A PM conta com o apoio da população e aguarda denúncias deste crime bem como de qualquer outro crime ambiental através do Disque Meio Ambiente, 0800 11 35 60, ou do telefone 190. A ligação é gratuita, e a denúncia, anônima

Fonte: Secretaria do Meio Ambiente

terça-feira, 22 de junho de 2010

Prefeitura de Santos divulga locais de coleta de lixo eletrônico


Santos possui 18 postos de coleta de pilhas e baterias distribuídos entre agências bancárias, estabelecimentos comerciais e instituições de ensino. A Secretaria do Meio Ambiente de Santos está divulgando os endereços no sentido de incentivar a população a fazer o descarte correto do lixo eletrônico.

Segundo estudo da ONU (Organização das Nações Unidas), o Brasil é líder no descarte deste tipo de lixo por habitante. Cada brasileiro joga fora meio quilo do material por ano.

O ideal é que aparelhos eletroeletrônicos, como celulares, baterias, pilhas e reprodutores de música, entre outros, tenham destino diferenciado do lixo comum. Com elementos químicos prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, os produtos devem ser descartados em recipientes próprios para reciclagem dos equipamentos.

Confira os pontos de coleta

Caixa Econômica Federal
Rua General Câmara, 15, Centro
Av. Rangel Pestana, 84, Vila Mathias

Banco Real/Santander
Av. Ana Costa, 481, Gonzaga
Praça Rui Barbosa, 31, Centro
Rua Amador Bueno, 61, Centro
Rua Galeão Carvalhal, 45, Gonzaga
Av. Conselheiro Nébias, 791, Boqueirão

Drogaria São Paulo
Rua Marechal Floriano Peixoto, 63, Gonzaga
Rua João Pessoa, 24, Centro
Av. Ana Costa, 306, Vila Mathias
Av. dos Bancários, 143, Ponta da Praia
Av. Pedro Lessa, 1344, Ponta da Praia
Av. Epitácio Pessoa, 21, Boqueirão

Vivo
Praça Independência 13, Gonzaga
Praiamar Shopping, 1° piso, Aparecida
Miramar Shopping, loja 78, Gonzaga

Multicoisas
Av. Ana Costa, 383, Gonzaga

Universidade Santa Cecília
Rua Oswaldo Cruz, 277, Bloco E, Boqueirão

Fonte: Tv Tribuna - 22/06/2010
www.tvtribuna.com

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Brasileiro conhece mais temas ambientais

Mais brasileiros têm uma compreensão correta de conceitos como biodiversidade e biopirataria do que americanos ou europeus.

O levantamento foi realizado pela União para o BioComércio Ético (UEBT) com cerca de 25 mil pessoas em 5 países e revela que 94% dos entrevistados no Brasil declaram compreender esses termos e, entre estes, 44% efetivamente definem os temas corretamente.

A diferença de conhecimento desses conceitos entre os países é tão brutal que chegou a surpreender os próprios pesquisadores, que não acreditavam que o índice pudesse atingir patamar tão elevado no Brasil.

Se por aqui a taxa atinge 94%, na Europa e nos Estados Unidos chega a 56%. Entre aqueles que dizem conhecer os assuntos e os definiram de forma acertada, o índice atinge 18% nos EUA, 16% na Alemanha e 19% na Inglaterra. A França tem a taxa mais alta, 27% - ainda inferior, no entanto, ao verificado no Brasil (44%).

Entre os 11 temas relacionados na pesquisa para definição por parte dos entrevistados, aquele que registrou maior discrepância foi a "conservação da biodiversidade" - que se refere a toda ação que leve à proteção da riqueza e da
variedade do mundo natural. Entre os brasileiros, 93% afirmam compreender o assunto, enquanto entre os americanos e europeus, o índice é quase a metade deste(48%).

A pesquisa foi coordenada pela consultoria Ipsos em todos os países avaliados e foi feita por meio de entrevistas pela internet.

Fonte: Valor Econômico, 21/05/2010.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Se for Consumir Carne que seja de Forma Sustentável


Uma boa oportunidade para o consumidor pôr em prática sua consciência ambiental é aderir à campanha Carne Legal (www.carnelegal.mpf.gov.br), lançada esta semana pelo Ministério Público Federal.

A campanha tem o objetivo de alertar sobre os problemas ambientais, trabalhistas e fundiários associados à criação de gado e também sobre a importância de os consumidores cobrarem informações a respeito da origem da carne que compram nos supermercados.

A medida é fundamental porque, com a derrubada da floresta para a criação de gado, a pecuária tornou-se a principal atividade causadora do desmatamento e queimadas na Amazônia, fontes de emissões de gases do efeito estufa.

Além disso, várias fazendas da região, fornecedoras de bois para grandes redes varejistas, têm histórico de uso de mão-de-obra escrava.

Por isso, sempre que for comprar carne, não hesite em questionar o supermercado a respeito da origem do produto.

Ter a garantia de que seu bife não contribuiu para o desmatamento nem para o uso de trabalho degradante é seu direito e também seu dever. Outra opção é, simplesmente, diminuir o consumo.

Por outro lado, quando falamos de recursos naturais é sempre bom lembrar que o problema não afeta apenas a carne vermelha. O pescado também é uma atividade que hoje beira a insustentabilidade.

Várias espécies, tais como o bacalhau, já estão à beira da extinção. Antes de consumir pescado, consulte o Guia de Consumo Sustentável de Pescado elaborado por pesquisadores da Unimonte (http://www.unimonte.br/sustentabilidade/guia-de-consumo-responsavel-de-pescados-16).

A Natureza, sua saúde e as futuras gerações agradecem.

Fonte: Jornal A Tribuna

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Copa do Mundo ou Mundo da Copa??


Em meio ao barulho irritante das vuvuzelas, vulcões expelem incessantes lavas em todo o mundo.
Em meio ao grito ansioso da torcida mundial, espécies marinhas gritam por socorro no golfo do México.

Bandeiras, muros pintados, camisetas enfim, 15 dias de pura paixão mundial!!

Caras pitandas e fantasias, tudo para demonstrar sua paixão ao país seja ele qual for, o que importa é aparecer!!

Não se vê essa doentia paixão em outros setores da humanidade e nem em outros campeonatos esportivos.

Sempre tive a idéia que: paixões são boas mas logo se vão e com ela deixam marcas, um sentimento ruim de vazio, de quem deixou alguma coisa pra traz. Sim o tempo!!

Tempo para amar, tempo para respeitar, tempo para dedicar a alguém,tempo para aprender algo novo, tempo este, que muitos dizem não ter.

Durante a copa, quando eu era criança tudo era festa, porém aos meus 25 anos percebo que tudo isto virou fanatismo e que este foi o jeito que as pessoas encontaram de colocar pra fora seus sentimentos mais profundos de raiva, emoção, ansiedade etc.

E quando a copa acaba, mesmo com a "seleção" campeã, volta tudo como era antes, provando que toda a dedicação fanática em prol de 11 cidadãos sempre é algo totalmente fútil e inútil.

Que possamos nos conscientizar e utilizar toda esta energia em prol do que realmente importa dos mais necessitados e do planeta principalmente que está necessitando muito da nossa ajuda!!

Fonte: Autoria Própria

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Cientistas querem usar lama para produzir energia


Pesquisadores do Rio Grande do Sul encontraram uma forma de gerar energia elétrica a partir da lama.

Cerca de 3 mil navios circulam por ano no porto do Rio Grande (RS). Para garantir esse movimento, embarcações cavam buracos debaixo da água e sugam a areia para aumentar a profundidade do canal. O trabalho tem que ser feito todos os anos. Ao todo, são retirados 1,5 milhão de metros cúbicos de material.

Todo o lodo é jogado fora. E os cientistas da Universidade Federal do Rio Grande querem acabar com o desperdício.

Segundo os pesquisadores, a lama contém altas concentrações de uma bactéria conhecida como micróbio elétrico. Essa bactéria se alimenta de restos de peixes, algas e vegetais que estão na lama. No final da refeição, produz energia elétrica que é liberada em forma de pequenas partículas chamadas de elétrons.

Os pesquisadores montaram uma pequena usina no laboratório. Placas de grafite captam a energia liberada pelas bactérias, que segue por fios até uma bateria. A energia liberada é suficiente para carregar um celular.

Os cientistas vão propor a construção de uma usina em tamanho industrial. A energia produzida no local será suficiente para abastecer uma cidade com 500 mil habitantes.

A maior vantagem é a economia, dizem os pesquisadores. O custo de uma usina desse tipo é menor do que o das hidrelétricas. E a matéria prima viria das obras de dragagem do porto.

Fonte: G1

terça-feira, 1 de junho de 2010

Empresário cearense desenvolve o primeiro poste de iluminação pública 100% alimentado por energia eólica e solar


As tecnologias limpas – aquelas que não queimam combustível fóssil – serão o futuro do planeta quando o assunto for geração de energia elétrica.

No Ceará, um dos locais no mundo com maior potencial energético (limpo), o engenheiro mecânico Fernandes Ximenes, proprietário da Gram-Eollic, pretende mostrar que o estado, além de abençoado pela natureza, é capaz de desenvolver tecnologia de ponta.

A empresa lançou no mercado o primeiro poste de iluminação pública 100% alimentado por energias eólica e solar. Com modelos de 12 e 18 metros de altura (feitos em aço), o que mais chama a atenção no invento, tecnicamente denominado de Produtor Independente de Energia (PIE), é a presença de um avião no topo do poste.

Feito em fibra de carbono e alumínio especial a peça tem 3 metros de comprimento e, na realidade, é a peça-chave do poste híbrido. Ximenes diz que o formato de avião não foi escolhido por acaso. A escolha se deve à sua aerodinâmica, que facilita a captura de raios solares e de vento.

Tecnicamente, as asas do avião abrigam células solares que captam raios ultravioletas e infravermelhos por meio do silício, transformando-os em energia elétrica (até 400 watts), que é armazenada em uma bateria afixada alguns metros abaixo. Cumprindo a mesma tarefa de gerar energia, estão as hélices do avião. Assim como as naceles (pás) dos grandes cata-ventos espalhados pelo litoral cearense, a energia (até 1.000 watts) é gerada a partir do giro dessas pás.

Cada poste é capaz de abastecer outros 3 ao mesmo tempo. Ou seja, um poste com um um gerador é capaz de produzir energia para outros 2 sem gerador e com 6 lâmpadas LEDs (mais eficientes e mais ecológicas, uma vez que não utilizam mercúrio, como as fluorescentes compactas) de 50.000 horas de vida útil dia e noite (cerca de 50 vezes mais que as lâmpadas em operação atualmente; quanto à luminosidade, as LEDs são 8 vezes mais potentes que as convencionais). A captação (da luz e do vento) pelo avião é feita em um eixo com giro de 360 graus, de acordo com a direção do vento.

À prova de apagão

Por meio dessas duas fontes, funcionando paralelamente, o poste tem autonomia de até 7 dias, ou seja, é à prova de apagão. O inventor explica que a idéia nasceu em 2001durante o apagão. Naquela época, suas pesquisas mostraram que era possível oferecer alternativas ao caos energético. Sua intenção hoje é colocar a descoberta em praças, avenidas e rodovias.

O custo de instalação de cada poste é cerca de 10% menor que o convencional, isso porque economiza transmissão, subestação e cabeamento. A alternativa teria, também, um forte impacto no consumo da iluminação pública, que atualmente representa 7% da energia no estado.

De fato, em todas as partes do mundo, há esforços cada vez maiores e mais rápidos para transformar as energias limpas na bola da vez. E, nesse sentido, números positivos não faltam para alimentar tal expectativa. Organismos internacionais apontam que o mundo precisará de 37 milhões de profissionais para atuar no setor de energia renovável até 2030, e boa parte deles deverá estar presente no Brasil.

Fonte: Revista Fiec

segunda-feira, 17 de maio de 2010

ONG faz coleta de cabelo para limpeza de praias no Golfo do México


Salões de cabeleireiro e fazendeiros do mundo inteiro estão recolhendo cabelo e pelos de animais para auxiliar a operação de limpeza do petróleo que, há vários dias, vaza de um poço danificado no Golfo do México.

A ideia é que o cabelo, colocado dentro de meias de náilon, absorva o óleo espesso que se aproxima das praias dos Estados vizinhos ao local do vazamento - Louisiana, Mississippi, Alabama e Flórida.

Cerca de 370 mil salões estão participando, segundo a entidade beneficente que lidera a campanha de arrecadação de cabelo, Matter of Trust.

O Brasil também está contribuindo com doações, coordenadas a partir de uma página no site de relacionamentos Facebook.

Segundo a Matter of Trust, sediada em San Francisco, na Califórnia, por volta de 200 mil quilos de cabelo e pelos estão chegando todos os dias.

Em entrevista à BBC, a cofundadora da entidade, Lisa Gautier, disse que o cabelo é um material extremamente eficiente na absorção de todos os tipos de óleo, incluindo o petróleo.

Ela explicou que cada folículo tem grande área de superfície, à qual o óleo adere.

Voluntários estão colocando o cabelo dentro das meias em 15 armazéns nas regiões próximas ao desastre, criando imensas "salsichas de cabelo", disse Gautier.

As meias serão colocadas nas praias - não no mar - para absorver o óleo que chegar à areia.

A técnica tem a aprovação da empresa Applied Fabric Technologies, segundo maior fabricante de utensílios para a absorção de petróleo no mundo, informou a Matter of Trust.

Além do Brasil e Estados Unidos, países como França, Inglaterra, Espanha, Austrália e Canadá também estão fazendo doações, disse Gautier.

Segundo ela, a página da entidade no Facebook vem sendo atualizada constantemente com notícias de novos carregamentos. E mais voluntários estão se disponibilizando a toda hora.

Criadores de carneiro e alpaca também estão participando, disse a entidade.

Por volta de cinco mil barris ( mais de 950 mil litros) de petróleo estão vazando diariamente no Golfo do México desde a explosão, no dia 20 de abril, no poço administrado pela empresa britânica BP, British Petroleum.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

História Verídica e Emocionante

Pessoal,
Este e-mail foi de uma amiga minha que participa da feirinha de adoção de animais da ONG MAPAN no Gonzaga em Santos!!
Simplesmente maravilhoso!!
Realmente devemos tirar o chapéu para os animais e exterminar humanos que largam seus animais como se fossem coisas ou lixo nas ruas!!!
Apreciem a bela história!!

bjs a todos da Tatinha



Ao chegar na Feirinha para organizar a Feira de Adoção, foram encontrados 12 filhotes abandonados: 8 com aproximadamente 40 dias, amontoados dentro de uma caixa



e, pasmem, 4 cachorrinhos com horas de nascidos.



Por ter ficado 2 finais de semana sem realizar feiras por causa do mau tempo, haviam muitos filhotes em hospedagens e bebês tão pequenos como estes, precisam mamar de 2 em 2 horas, inclusive à noite.

Foi quando, em dado momento, apareceu uma cadela de rua, CASTRADA e se aproximou dos bebês recem nascidos. Deitou perto da caixinha e começou a tomar conta deles.



Não deixava mais ninguém se aproximar.



Com cuidado, os bebês foram colocados perto dela que começou a acariciá-los e tentar oferecer-lhes o seu leite, ainda inexistente





Este é o verdadeiro sentido da maternidade.



Passadas algumas horas, com o leite aos poucos chegando, a mamãe já estava inteiramente integrada com seus novos filhos, os quais cuida como se os tivesse gerado.



A nova mamãe foi então batizada de Vida.

Fica, então, a pergunta: Por que nem todos os humanos agem desta forma???

"GRITE POR AQUELES QUE NÃO PODEM FALAR...DEFENDA OS ANIMAIS"